segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

FRAMES-RETRÔ: Poltergeist: O Fenômeno em que a tensão e o medo evoluem

Fábio Pereira
xanderfbi@hotmail.com

Se existe um gênero cinematográfico que parece não perder o fôlego com o passar dos anos este é o Terror. São centenas (ou até milhares) de produções lançadas anualmente com um único objetivo em comum: fazer o espectador sentir medo. O problema é que, na avaliação deste que vos escreve, a maioria das produções esquece que o medo deve vir através de uma sensação de insegurança e a utilização somente de artifícios visuais nem sempre causa o efeito almejado. Por isso, salvo algumas produções mais recentes, ainda indico maravilhosas e antigas películas que, se não possuem os efeitos visuais e especiais modernos, ainda causam tensão até hoje.
Poltergeist – O Fenômeno é aquele tipo de filme que todo mundo (ou quase) já assistiu numa noite de Halloween ou se lembra de ter assistido algumas partes em madrugadas insones diante da TV aberta ou à Cabo (“Não é aquele filme da menina que fala com a TV?” – questionou um conhecido!). Sim, numa definição pobre de palavras, Poltergeist é mesmo aquele filme da menina que fala com a TV, mas como estou aqui para indicar uma verdadeira pérola do cinema oitentista, irei a fundo para desvendar o fascínio por trás dessa grande obra de Steven Spielberg. E, antes mesmo de você erguer sua voz ou ativar o Caps Lock do seu teclado e afirmar que “o Spielberg era apenas o produtor e roteirista, como consta nos créditos”, te acalmo afirmando que ele foi realmente o responsável que fez de Poltergeist um estrondoso sucesso.
Envolvido ao mesmo tempo com outro filme que virou sucesso em

I don't think so!

1982 (E.T. – O Extraterrestre), Spielberg acabou por indicar Tobe Hooper (de Força Sinistra [leia o review]) para ficar à frente do projeto, no entanto através de entrevistas posteriores, alguns atores do elenco confirmaram que a força criativa e a maioria das cenas foram realmente conduzidas por Steven Spielberg (fato que ele nega veementemente até hoje). Louros à parte, num dos raros filmes em que a parceria com o mago John Williams não se realizou, outro gênio entrou em cena para nos deliciar com uma trilha sonora que figura entre as melhores do cinema oitentista: Jerry Goldsmith (in memoriam) foi o compositor que fez com que a trilha de Poltergeist se tornasse um personagem à parte, com seus acordes sinistros que conseguem aumentar a tensão do espectador e, ao mesmo tempo, baixar o nível de adrenalina através de uma harmonia reconfortante.

Carol Anne conversa com "as pessoas da TV"

Mas o que falar sobre a narrativa em si? Numa trama que inicia com o hino americano emanando de um televisor, entra em cena a figura de um anjo em forma de criança que começa a se comunicar com o aparelho fora do ar. Atônita, a família (e o espectador) já sabem, mesmo que subconscientemente, que algo está errado. Com uma maestria notável, os medos irracionais que a infância tratou de impor a muitos, são amplamente explorados durante a película (a velha árvore sinistra no quintal; o boneco do palhaço que parece ter vida própria; trovões e raios; a escuridão). Mais do que isso, o que começa com uma simples diversão para parte da família (a cena em que Carol Anne desliza pelo chão da cozinha), se transforma em tensão e medo, que evoluem com o desaparecimento da criança e a investigação por parte da equipe de parapsicólogos.
Numa época em que o cinema parece esquecer que o terror visual vale muito menos que o terror psicológico, Poltergeist – O Fenômeno ainda pode te causar uns bons e tensos arrepios.



Curiosidades sobre o filme

 

"Billy, você sabe de alguma coisa!"


- Famoso pela participação no filme O Predador (1987), Sonny Landham (in memoriam) aparece numa ponta como um dos operários que constroem a piscina da família Freeling;


Será que a verba da cenografia foi cortada?

 - Os esqueletos utilizados na cena da piscina eram reais e não cenográficos!;


R.I.P.

 - Dominique Dunne (in memoriam), que interpreta Dana Freeling, foi morta (no mesmo ano de estreia do filme nos cinemas) por um ex-namorado apenas 19 dias antes de completar 23 anos;


- O famoso Wilhelm Scream [confira a matéria] pode ser ouvido numa cena rápida em que Carol Anne assiste à TV na cozinha.



SPOILER ALERT

Apesar da avaliação da Dra. Lesh (Beatrice Straight/in memoriam) que os fenômenos se tratam de um Poltergeist (que estão geralmente associados a uma pessoa), ao final do filme descobrimos que, na verdade, tudo era ligado a assombrações (que são associadas a um lugar, no caso a residência construída em cima de um cemitério).



Citações

“Eles estão aqui!” – Carol Anne.

“Esta casa tem muitos corações.” – Tangina.

“Corra para a luz, Carol Anne!” – Diane.

“Você deixou os corpos e só tirou as lápides! Por quê?” – Steve.



Poltergeist – O Fenômeno (Poltergeist, EUA, 1982). Elenco: JoBeth Williams, Craig T. Nelson e Heather O’Rourke. Direção: Tobe Hooper.



TRAILER





Fotos: Divulgação/Internet.

Informações adicionais: IMDB.


 

 OFERTA

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

FRAMES-RETRÔ: Você sabe quem chamar quando “Der a Louca nos Monstros?”

Fábio Pereira
xanderfbi@hotmail.com

Com os novos aficionados por Stranger Things (e a onda do revival pelos Anos 1980), muita gente sai em busca de referências aos filmes que são inspiração à maravilhosa série da Netflix. No Frames-Retrô de hoje trago a vocês, leitores do Frames da Imaginação, não uma referência direta, mas um dos filmes mais divertidos daquela maravilhosa década do cinema americano. The Monster Squad (traduzido pela versão brasileira BKS como “Deu a Louca nos Monstros”) é uma homenagem aos grandes monstros clássicos que provocaram medo e fascínio a muitos adoradores do gênero: Drácula, o Monstro de Frankenstein, o Lobisomem, a Múmia e o Monstro da Lagoa Negra. Mas não bastava somente reunir essa equipe infernal, era necessário achar adversários de peso (ou não) para enfrenta-los. É aí que o roteiro do filme diz ao que veio e coloca em cena um grupo de crianças, que é fã de filmes de terror e se reúne numa típica (e 100% americana)

A "Patrulha Monstro" combate as forças das trevas

casa da árvore. Eles acabam por descobrir que os seres malignos estão aterrorizando a cidade, atrás de um amuleto místico, e mesmo sem experiência alguma e (quase) nenhuma ajuda, resolvem impedi-los.
Sob o comando do diretor Fred Dekker (de A Casa do Espanto [leia o review]), The Monster Squad cumpre seu papel em homenagear não somente os monstros clássicos (através das indumentárias, maquiagens e adereços), mas também transmite um breve ar nostálgico que se

Os monstros clássicos do cinema

torna presente nas cenas iniciais, passadas na distante Transilvânia (Romênia) e na figura do célebre caçador de vampiros Abraham Van Helsing. Mais pontos extras para a produção são a utilização de clichês clássicos do gênero (de forma positiva!), como o medo infantil do temível Monstro do Armário (na cena entre Eugene, seu pai e a Múmia), além da já clássica exigência da pureza de uma virgem para que se abra o portal para o Limbo.
Enfim, “Deu a Louca nos Monstros” pode não ter referência direta com Stranger Things, mas com certeza vai ter uma referência direta com a sua diversão.



Curiosidades sobre o filme


Chocolate com um sabor especial



- Jason Hervey, famoso por ser o irmão babaca de Kevin Arnold na série Anos Incríveis, interpreta um papel similar na película;

Ela nunca precisou ver seu coelho cozido


 - Ashley Bank recusou um papel em Atração Fatal (1987), para interpretar a pequena Phoebe;


"Goonies never say die."


- Mary Ellen Trainor (in memoriam), que interpreta a mãe de Sean e Phoebe, atuou num papel similar no clássico Os Goonies (1985).


Citações
“Leia! Ou todos nós vamos morrer!” – Abraham Van Helsing.

“Mortos de dois mil anos não se levantam e andam sozinhos.” – Del.

“Lobisomem tem saco!” – Horace.

“Eu disse: só há uma maneira de matar um lobisomem.” – Rudy.



Deu a Louca nos Monstros (The Monster Squad, EUA, 1987). Elenco: Andre Gower, Stephen Macht e Mary Ellen Trainor. Direção: Fred Dekker.




TRAILER





Fotos: Divulgação/Internet.
Informações adicionais: IMDB.



OFERTA

COMPRE O SEU

terça-feira, 31 de outubro de 2017

FRAMES-COMEMORAÇÃO

Atingimos a marca de 60.000 páginas visualizadas

Há quase 9 anos, um publicitário e um jornalista que trabalhavam juntos há pouco tempo, mas que já mostravam interesses cinematográficos em comum, tiveram a ideia de criar um Blog com o intuito de levar aos fanáticos por cinema, séries de TV e diversas outras vertentes relacionadas à vários tipos de Arte, críticas, notícias, dicas, e informações relacionadas ao entretenimento. Assim, surgiu o Frames da Imaginação! 
Devido a compromissos profissionais e à vida turbulenta, nem sempre somos capazes de propiciar atualizações frequentes, mas sempre fazemos o possível para levar toda gama de entretenimento e diversão a todos vocês, que nos prestigiam e acompanham nosso trabalho.
Fica aqui nosso eterno agradecimento a você, leitor do Frames da Imaginação, e um desejo de que venham outros 60.000 acessos em breve.



segunda-feira, 30 de outubro de 2017

FRAMES-RETRÔ: Um horror vindo do espaço infecta Londres em “Força Sinistra”

Fábio Pereira
xanderfbi@hotmail.com

Halloween pode ser coisa de americanos, mas há quem adore e aproveite a tradição ianque para se entupir de doces ou, simplesmente, se entregar a altas doses de bebidas alcoólicas. Mas se nessa época você, caro leitor do Frames da Imaginação, prefere uma reclusão nessa noite voltada às bruxas, demônios e seres das trevas, no Frames-Retrô de hoje eu tiro a poeira das minhas estacas, essência de alho e água benta e te apresento a uma película que fará força para sugar sua alma.  
Era 1985 quando a Cannon Films (do famoso “A Golan-Globus Production”), responsável por filmes de baixo orçamento, mesmo assim memoráveis, lançou uma pérola do cinema de terror. Baseado no livro The Space Vampires, de Colin Wilson, Força Sinistra tinha uma trama que, se não era tão original, até hoje causa certa tensão aos mais sensíveis. Sob a tutela do experiente Tobe Hooper (in memoriam), diretor de clássicos do gênero como Pague Para Entrar, Reze Para Sair (1981) e Poltergeist: O Fenômeno [leia o review], a produção abraça a figura mítica dos vampiros, acrescentando um novo contexto sobre a lenda dos seres que, originalmente, vagam em busca do sangue dos seres vivos. A história de Força Sinistra segue uma equipe

Mire 5cm abaixo do coração

de astronautas, em missão conjunta entre EUA e Inglaterra, que parte para investigar o famoso Cometa Halley. Ao se aproximar do corpo celeste, eles detectam uma imensa nave e decidem investiga-la, encontrando estranhos seres preservados em caixões de cristal. O pior acontece e os alienígenas acabam em Londres, onde começam a consumir a força vital das pessoas, gerando uma epidemia de infectados.

Duane Barry, é você?!

Encabeçado por nomes de peso, como o experiente Frank Finlay (in memoriam), no papel do Dr. Hans Fallada; o ator tipicamente britânico Aubrey Morris (in memoriam), como Sir Percy Heseltine; e Steve Railsback (em desempenho que remete a um de seus mais ilustres personagens numa famosa série de TV dos Anos 1990); Força Sinistra ainda é muito lembrado pela performance ao natural da atriz francesa Mathilda May, no papel da vampira espacial.
Com uma trilha sonora imponente, regida pela Orquestra Sinfônica de Londres, além de um roteiro que merece pontos por sair das manjadas locações americanas e situar a ação principal numa capital inglesa envolta em trevas, Força Sinistra é um filme ideal para assistir bem tarde da noite, com as luzes apagadas e uma lança feita de metal e chumbo a tiracolo.



Curiosidades sobre o filme
 

Quem resiste a esse olhar 43?


- Mathilda May, que interpretou a vampira espacial dentre 1000 (!) atrizes consideradas para o papel, aparece num total de somente 7 minutos durante toda a película;


"I want my tea earl grey!"


- Conhecido dos fãs de Star Trek, pelo papel do capitão Jean-Luc Picard, Sir Patrick Stewart, interpreta aqui um diretor de um hospital psiquiátrico; 


Free Hugs!


 - Alguns dos corpos dissecados foram reaproveitados, 14 anos depois, no filme A Múmia, estrelado por Brendan Fraser;


O coletor de almas


 - A nave espacial dos vampiros, em formato que lembra um guarda-chuva, foi concebida através de uma alcachofra como modelo.



“De certo modo, somos todos vampiros. Drenamos energia de outras formas de vida. A diferença é o grau.” – Dr. Hans Fallada.


Força Sinistra (Lifeforce, EUA, 1985). Elenco: Steve Railsback, Mathilda May e Peter Firth. Direção: Tobe Hooper.




TRAILER





Fotos: Divulgação/Internet.
Informações adicionais: IMDB.  


OFERTAS

http://oferta.vc/v2/178854cac48
COMPRE O DVD
Post atualizado em 27/06/19.