sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

FRAMES-CRÍTICA: Stephen King na essência


O Nevoeiro é quase uma obra de arte do gênero terror. Com doses ilimitadas de suspense, o filme conta a história de David Drayton (Thomas Jane), um desenhista de cartazes de filmes, dentre eles O Enigma de Outro Mundo (de John Carpenter) e Um Sonho de Liberdade (de autoria de Stephen King). Após uma tempestade que devasta a cidade de Maine, ele e seu filho, Billy (Nathan Gamble), dão carona ao vizinho carrancudo (André Braugher – Tempo de Glória) ao supermercado. Assustados, todos da pequena cidade fazem o mesmo, temendo que os suprimentos se esgotem. Nesse momento, um estranho nevoeiro toma conta de tudo, com os moradores se refugiando dentro do supermercado. A atmosfera do desconhecido toma conta de todos, sendo que os poucos que se arriscam a sair do local não voltam e estranhas criaturas começam a surgir do lado de fora.
“Pensamos que somos tão evoluídos, mas bastam as regras sociais sumirem que voltamos a ser como animais”, diz um dos personagens. Esse aspecto da produção é bastante interessante, com o conflito interno das pessoas aflorando e chegando às vias de fato, conclamadas com histeria coletiva com toques de fanatismo religioso, tornando o filme um terror com toques de suspense.
O final deixa um pouco a desejar para os mais exigentes, no entanto, O Nevoeiro é uma boa pedida para aquelas noites chuvosas e solitárias, mas desaconselhável para os fracos de coração.

O Nevoeiro, (The Mist, EUA, 2007). Elenco: Thomas Jane, Laurie Holden. Direção: Frank Darabont.

Fábio Pereira – O Nevoeiro – 8,5 Frames

Donovan MC Dulles – O Nevoeiro - 8 Frames


Pontuação

01 a 02 Frames – Ruim
03 a 04 Frames – Regular
05 a 06 Frames – Bom
07 a 08 Frames - Ótimo
09 a 10 Frames - Obra Prima

FRAMES-DVD: Street Fighter vai ganhar DVD de luxo no Brasil


O primeiro longa-metragem baseado no jogo para games Street Fighter: A Última Batalha (Street Fighter – 1994) terá uma edição em DVD de luxo. Mas nem tanto, a Sony irá lançar a película apenas com um disco simples e de extras making-of e cenas excluídas. O Filme conta com Jean-Cleaude Van Damme como o Coronel Guile e Raul Julia no papel de General M.Bison no seu último trabalho para o cinema. O lançamento do DVD de Luxo está previsto para o 4 de março.
Ainda este ano será lançado nos cinemas mais uma aposta da Capcom com Street Fighter: Legend of Chun-Li, que conta a história da personagem Chun Li interpretada por Kristin Kreuk. Quando eles vão se tocar que Street Figher só será um grande sucesso com os personagens principais: Ryu e Ken.

Nota Fábio Pereira: O filme é um lixo. Assista por seu próprio risco.
Nota Donovan Mc Dulles: O Filme é fraco, mas da pra assistir.

FRAMES-CRÍTICA: “Em terra de cego quem tem um olho é rei”



-->
“Em terra de cego quem tem um olho é rei”. Esse ditado diz muito sobre o filme Ensaio Sobre a Cegueira (Blindness, 2008), dirigido pelo brasileiro Fernando Meirelles (Cidade de Deus). Um estranho fenômeno tem inicio nas ruas de uma cidade. Quando inexplicavelmente fica cego de repente ele vai a procura de um oftalmologista, aqui interpretado por Mark Rufalo (E se Fosse Verdade, De Repente Trinta), mas ele não encontra nada de errado com seu paciente. Aqui começa nossa trama, pois o médico no dia seguinte acorda cego, da mesma forma que seu paciente e não é só isso todas as pessoas q estavam em seu consultório e tiveram contato com o homem também apresentam o mesmo sintoma, exceto pela esposa do médico Julianne Moore (Hannibal).
Interessante como a única pessoa da face da Terra, pelo menos é o que aparenta, que é a mulher do médico, não fica cega e nem ela ou o marido se perguntam por que, eles tentam da melhor forma possível colocar ordem numa sociedade de pessoas que foram colocadas em uma espécie de campo de concentração para que não espalhassem a epidemia. Desesperadamente o clima fica mais tenso a cada pessoa que entra neste confinamento e tenta colocar sua própria lei, brigas e mortes acontecem e por ordem não fica fácil.
Vale a pena assistir a “Ensaio sobre a Cegueira”, pois o trabalho de Fernando Meirelles é magnífico, destaque também para a trilha sonora especialmente trabalhada pelo grupo também brasileiro Uaikti – Oficina Instrumental que usa material que iria para o lixo para fazer suas composições.
O Filme também conta com as participações de atores consagrados como Danny Glover (Maquina Mortífera) e Alice Braga (Eu Sou a Lenda).
Baseado na obra de José Saramago, (Prêmio Nobel de Literatura), “Ensaio sobre a Cegueira” já está disponível em DVD.
Ensaio sobre a Cegueira – (Blindness 2008), Direção: Fernando Meirelles, Roteiro: Don McKellar, José Saramago (livro), Elenco: Julianne Moore, Mark Ruffalo, Alice Braga, Danny Glover, Gael García Bernal, Sandra Oh, Don McKellar, Maury Chaykin, Yusuke Yseya, Yoshino Kimura. http://www.ensaiosobreacegueirafilme.com.br

Fábio Pereira - Sem Avaliação Ainda
Donovan MC Dulles - 8 Frames

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

FRAMES-ANÁLISE: De REC a Quarentena - Qual o melhor?


Bem, na primeira postagem do blog, vamos comentar sobre dois filmes: REC (2007) e Quarentena (2008). Filmado originalmente na Espanha, REC já começa com uma mistura intensa de clichês do gênero terror. Inicialmente o filme aparenta ser muito chato. A bela repórter Ângela Vidal (Manoela Velasco) está fazendo uma matéria para TV numa unidade do Corpo de Bombeiros, mostrando como é a vida dos bombeiros, suas roupas, seus equipamentos, os carros e a noite quase sempre monótona. O começo do filme parece tratar só disso, com a repórter quase que implorando que algo aconteça de verdade (uma chamada). Eis que a solicitação dela é atendida. Rapidamente ela segue com seu fiel “cameraman”, e põe fiel nisso, e os bombeiros, chegam a um prédio em que os moradores reclamam que uma senhora idosa estava aos gritos dentro de seu apartamento. Com a ajuda de dois policiais, todos vão investigar o ocorrido. É aí que tudo começa a dar errado. Para não tirar a graça do filme, vamos apenas comentar que o exército e o Centro de Controle de Doenças isolam o prédio evitando que todos saiam. O que acontece depois, mostrado pela câmera com filmagem amadora e sem os recursos “hollywoodianos” é uma rápida e completa perda de controle da situação.
Na refilmagem americana, Quarentena, a repórter de mesmo nome é agora interpretada por Jennifer Carpenter (O Exorcismo de Emily Rose). No mais, os efeitos de câmera prosseguem na mesma intensidade, com o padrão “hollywoodiano” mostrando ser mais destacado e melhor do no original. Algumas cenas adicionais jogam mais realidade e emoção à trama, como a perda de controle do policial que saca a arma e logo é contido por todos (no original a cena também está presente, no entanto com atuação mais fraca). O final de ambos os filmes dá um tom no estilo Bruxa de Blair que começou tudo com o recurso “filmagem amadora com intenções que parecem reais”. Enfim, a mistura de “Extermínio”, “Madrugada dos Mortos” e tantos outros faz com que ambos os filmes sejam “assistíveis”, mas longe de serem sucessos.

Fichas Técnicas

REC (Espanha, 2007). Elenco: Manuela Velasco (Ângela Vidal), Pablo Rosso (Pablo). Direção: Jaume Belagueró e Paco Plaza.

Quarentena (EUA, 2008). Elenco: Jennifer Carpenter (Ângela Vidal), Jay Hernandez (Jake). Direção e roteiro: John Erick Dowdle.


Fábio Pereira – REC - 6 – Frames
Quarentena – 6 Frames

Donovan MC Dulles - REC 5 – Frames
Quarentena – 3 Frames


Pontuação

01 a 02 Frames – Ruim
03 a 04 Frames – Regular
05 a 06 Frames – Bom
07 a 08 Frames - Ótimo
09 a 10 Frames - Obra Prima